Ansiedade

posted in: Paula Tooths | 0

O dicionário é apenas um livro físico e muitas vezes falha em explicar o que sentimos.

 

Hoje, 1 em 3 pessoas aqui no Reino Unido sofre de ansiedade, e das outras duas restantes, uma sofre de depressão.

 

Ninguém sabe ao certo qual é a origem da palavra ansiedade. Muitos estudos dizem que vem do latim – angorou do anglo germânicoangst, mas há provas deque a palavra veio de mais longe.

 

A teoria de maior credibilidade e que ansiedade venha de um velho dialeto egípcio – ankhque é o nome dado ao símbolo do sopro de vida, a primeira tomada de ar de um bebê em seu Nascimento. Já na raiz mais remota, a ansiedade estava relacionada à respiração ou à falta dela.

 

Ansiedade é o mal do século. Um monstro que se esconde dentro da alma das pessoas e rouba a oportunidade presente.

 

A ansiedade é uma reação que todo indivíduo experimenta diante de algumas situações do dia a dia, como falar em público, expectativa para datas importantes, entrevistas de emprego, vésperas de provas, exames de saúde e muitas outras coisas.

 

A ansiedade faz com que vemos perigo em tudo.

 

Faz compensarmos as nossas frustações em outras coisas, como alimentos ricos que nos causam conforto.

 

A insônia e outro sintoma. Perdemos o sono até de medo de não acordar.

 

O ombro trava, a barriga tem uma coleção de borboletas voando, o corpo grita de dor.

 

Falar vira um problema. As mãos congelam. A respiração falha. O coração acelera.

 

A preocupação é excessiva. Irritabilidade à flor da pele, a impressão é que teremos um ataque de nervos a qualquer instante.

 

A ansiedade parece maior que a gente e ali vai se instalar para sempre, dentro de nossas veias.

 

Ficamos inquietos, pensamos demais, nos tornamos obsessivamente perfeccionistas.

 

O que parecia ser apenas dentro de nossos pensamentos, torna-se físico, torna-se irritante e incontrolável e finalmente afeta nossa relação com o mundo exterior.

 

Pára, pára tudo.

 

Sim, parece um monstro e chega hora de matá-lo.

 

Mas ansiedade tem solução. Alguns chamam de cura, outros de alivio.

 

Pratique mais exercícios físicos, regularmente. A adrenalina que o seu corpo vai produzir ajudará a reduzir a ansiedade.

 

Yoga, meditação e exercícios de respiração podem mudar sua vida já na primeira sessão.

 

Uma alimentação saudável e balanceada pode ser chave para virar este jogo.

 

Escute uma música que te faça bem.

 

E converse, sem medo. Mantenha os amigos por perto.

 

Sorria!

 

Você é maior do que a sua ansiedade e pode combatê-la.

 

Acredite!

 

Por Paula Tooths

Para o Jornal A Hora

 

Ansiedade