100mil Protestantes pedem votação no acordo final do Brexit

posted in: Paula Tooths | 0

Descontentes de todo o Reino Unido reuniram-se no centro de Londres para protestar no segundo aniversário do referendo da comunidade europeia.

 

Mais de 100 mil pessoas em apoio pela comunidade europeia participaram de uma passeata em Londres pedindo a votação do acordo definitivo do Brexit, segundo os organizadores.

 

Pessoas de todo o país viajaram para Londres para participar da passeata, organizada via redes sociais pela instituição “People’s Vote UK”, no segundo aniversário do referendo da comunidade europeia.

 

Sir Vince Cable, líder do LibDem (partido dos liberais democratas), disse a seus seguidores: “Minha mensagem hoje é muito simples: continue lutando, continue esperando, nós venceremos”.

 

Depois de tantos escorregões do líder da oposição, alguns participantes cantaram “cadê  Jeremy Corbyn?” durante o protesto. Corbyn se opõe a outro referendo sobre a adesão à União Europeia. Corbyn estava visitando um campo de refugiados na Jordânia neste sábado. Um jornalista acompanhando-o na viagem pediu que ele comentasse sobre o protesto, mas Corbyn recusou.

 

Um contraprotesto foi realizado em Westminster a favor da saída da União Europeia. Já neste segundo, o grupo era bem pequeno.

 

Após o comício anti-Brexit, o ministro David Lammy escreveu em suas redes sociais: “Não vamos desistir. Vamos lutar pelo nosso direito de voto popular. São as pessoas que vão suportar o peso do Brexit e são as pessoas que devem decidir o futuro da Grã-Bretanha “.

 

A advogada Gina Miller, que ficou famosa por estar a frente dos apelos contra o Brexit, também esteve presente.

 

O protesto fez com que políticos, cidadãos e ativistas de todo o Reino Unido caminhassem cerca de um kilometro, de Pall Mall à Parliament Square, pedindo ao governo que ouvisse suas vozes.

 

Entre os participantes estavam agricultores, médicos, professores, estudantes, pescadores, militares e veteranos das Forças Armadas – assim como ex-partidários do Brexit.

 

Em uma entrevista viral, um protestante cita: “Quando a votação aconteceu, não poderíamos ter antecipado quão incompetente seria esse governo em negociar o divórcio com a comunidade europeia; estamos presos nessa bagunça administrativa.”

 

Houve presença multipartidária na marcha. Todos pediam ao governo que permitisse uma votação sobre o acordo final com a comunidade europeia.

 

Enquanto isso, Boris Johnson pediu à Primeira Ministra para entregar um Brexit rígido com o secretário internacional Liam Fox alertando que o Reino Unido não estava “blefando” sobre estar preparado para abandonar as negociações com Bruxelas e pretendem sair sem negociação deste divórcio.

 

Boris disse em entrevista para o jornal britânico The Sun, que os eleitores não tolerariam um Brexit que fosse suave, flexível e aparentemente infinitamente longo e que para ter final feliz, o governo realizara um Brexit rígido. Enquanto isso, nós, europeus aqui no Reino Unido, desconhecemos nosso próprio futuro.

 

Por Paula Tooths – Jornalista, produtora de TV e escritora, autora de quatro títulos publicados no Reino Unido e repórter do Na Pauta Online e do Jornal A Hora

Para o Jornal na Pauta

 

Mais de 100.000 foram as ruas para pedir votação sobre o acordo final do Brexit